São Paulo Trip (Allianz Parque – São Paulo SP 21, 23, 24, 26/09/2017)

São Paulo Trip foi aqueles eventos aonde o Rock é  o protagonista  principal de uma celebração por onde passou diversas gerações e experiências únicas.

A edição de quatro dias contou com 10 bandas internacionais, a maioria com passagem pelo Rock In Rio, com exceção do The Cult que foi a banda inédita da edição e apresentações dos mais variados pontos, tantos altos quanto baixos. Para esta resenha, o mais interessante foi fazer um resumo geral de cada show assim mostrar como foi a nossa sensação destes quatro insanos dias e citar alguns momentos positivos e negativos de cada show. Vamos lá?

Dia 21/09 – Alter Bridge + The Cult + The Who

Alter Bridge

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

O primeiro dia contou com logo de cara três bandas de três gerações, no qual foi até um desafio para organizar este line up bem peculiar. Os shows começaram bem cedo, assim tiveram poucos atrasos e uma multidão começando a chegar para conferir o show da noite.

Alter Bridge é uma banda formada por ex-integrantes do Creed, sucesso dos anos 2000 por Mark Tremonti, Brian Marshall, Scott Phillips que se junto ao vocalista e guitarrista Myles Kennedy, que também participa da banda do Slash, que é assunto logo mais.

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Apesar de turma ex-Creed, o show em si não nada baseado na ex-banda, já que quando falamos de ‘Creed’, muitos já ‘torcem o nariz’ e já esperam o pior do Alter Bridge, mas o show teve identidade.

A banda estava super felizes em tocar em São Paulo e segurou o pequeno público que estavam começando a chegar ao estádio para conferir as atrações da noite. O repertório foi baseado na discografia da banda e na divulgação da tour ‘The Last Hero’. Se viu o show deles e não conheciam, vale a dica em pesquisar mais sobre eles.

Setlist:

Come to Life
Addicted to Pain
Ghost of Days Gone By
Cry of Achilles
Crows on a Wire
Waters Rising
Isolation
Blackbird
Open Your Eyes
Metalingus
Rise Today

The Cult

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Banda clássica dos anos 80 liderado por Ian Astbury e Billy Duffy, trouxe o que é de melhor do grupo, só música boa, mas não tão correspondido pela plateia.

Assim como shows onde tem diversas bandas juntas, a tarefa de agradar todos é bem complicado, e não foi diferente nesta noite, que nem um ‘olê olê olê’ teve entusiasmo do público. Mas quem não curte o The Cult, perdeu um dos shows bem bacanas do primeiro dia.

Sucessos consagrados como ‘Wild Fire’, ‘Fire’ e ‘She Sells Sanctuary’ e ‘Fire Woman’, foram uma pitada de música boa para os tímido público esperando ver The Who.

Setlist

Wild Flower
Rain
Dark Energy
Peace Dog
Lil’ Devil
Deeply Ordered Chaos
The Phoenix
Rise
Sweet Soul Sister
She Sells Sanctuary
Fire Woman
Love Removal Machine

The Who

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

O estádio não tão cheio quanto pensava (por mais espantoso que seja), estavam a postos para ver a primeira apresentação de uma das bandas mais esperadas por todas as gerações, mais de 50 anos!

Liderado por Roger Daltrey e Pete Townshend, a banda vem em suporte a dois jovens Jon Button e o filho de Ringo Starr, Zak Starkey que parece que fez bem a lição de casa com o pai!

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Sucessos não faltou nesta icônica apresentação, que teve alguns deslizes que não perdeu o brilho da apresentação. Claro que boa parte das canções atualmente executado pela banda são mais devagar  (Ozzy também canta um tom abaixo em seus shows atualmente e daí?). Não deixou de ser uma ótima apresentação.

Clássicos não falou no repertório, começando com ‘I Can’t Explain’, ‘The Kids Are Alright’, os hits ‘My Generation’ e ‘Behind Blues Eyes’, além das ótimas ‘Pinball Wizard’ e ‘Baba O’Riley’. O grupo que é 50% clássico e 50% nova geração, misturou a experiência de cada um e fez um espetacular show. Destaque para Zak que tocou muito bem obrigado e fez jus ao seu pai.

Setlist

I Can’t Explain
The Seeker
Who Are You
The Kids Are Alright
I Can See for Miles
My Generation (With “Cry If You Want” Snippet)
Bargain
Behind Blue Eyes
Join Together
You Better You Bet
I’m One
The Rock
Love, Reign O’er Me
Eminence Front
Amazing Journey
Sparks
Pinball Wizard
See Me, Feel Me
Baba O’Riley
Won’t Get Fooled Again

Encore:
5:15
Substitute

Dia 23/09 – The Kills + Bon Jovi

The Kills

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Assim como aconteceu no primeiro dia, The Kills foi bem prejudicada por uma grande plateia, a única que lotou o estádio bem cedo, que não conhecia o trabalho da banda e embalou alguns presentes que já sabiam do trabalho da dupla.

O show bem curto, focou em três álbuns da banda ‘Ash & Ice’, ‘Blood Pressures’ e ‘Keep On Mean Side’, com grande influência de Veltet Underground, e formado por Alisson Mosshart e James Hince, fez seu papel e executou um show bem impecável e sem delongas.

Setlist

Heart of a Dog
Kissy Kissy
Hard Habit to Break
Baby Says
Echo Home
Pots and Pans
Monkey 23

Bon Jovi

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Claro que a mais esperada da noite, Bon Jovi que não estão mais naqueles anos ‘dourados’ contou com o público que abraçou a banda e cantou aos pulmões seus grandes sucessos.

O repertório contou com canções do álbum de 2016 ‘This House Is Not For Sale’ que abriu no telão uma estrada da banda chegando até São Paulo contendo imagens de monumentos históricos da cidade, chegando assim no Allianz Parque, apesar da grata surpresa, já tinha sido feito na apresentação da banda no Rock In Rio.

E falando em Rock in Rio, apesar de muitos acharam bem frustrante o show do Bon Jovi, em São Paulo, frustrante passou longe na noite, teve sucessos, claro a escolha de uma fã para ficar no palco com Jon Bon Jovi na canção ‘Bed Of Roses’ e sim, em SP teve a tão esperada ‘Always’, hit que não entrou no set do festival no Rio.

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

E para completar a alegria dos fãs, Jon Bon Jovi agradeceu muito os fãs e grande receptividade e voltou para mais um encore, desta vez com ‘These Days’. Pelo menos em São Paulo foi um grande show, com um Jon Bon Jovi não tão bem no vocal, mas com boa performance de palco.

Setlist

This House Is Not for Sale
Raise Your Hands
Knockout
You Give Love a Bad Name
Born to Be My Baby
Lost Highway
We Weren’t Born to Follow
Lay Your Hands On Me
In These Arms
New Year’s Day
(You Want to) Make a Memory
Bed of Roses
It’s My Life
Someday I’ll Be Saturday Night
Wanted Dead or Alive
I’ll Sleep When I’m Dead
Have a Nice Day
Keep the Faith
Bad Medicine

Encore:
Always
Livin’ on a Prayer

Encore 2:
These Days

Dia 24/09 – Def Leppard + Aerosmith

Duas bandas com grande auge nos anos 80, foi uma noite de celebração ao Rock anos 80/90 em diferentes aspectos…

Def Leppard

Foto: Mercury Concerts / Divulgação

A banda que esteve no Rock In Rio, depois de 30 anos após ao acidente com o baterista Rick Allen que teve seu braço amputado, tocou como se tivesse diversos braços, por que sua bateria é forte e pesada ao vivo, mesmo com nuances eletrônicas.

A viagem aos 80 veio com os hits dos álbuns ‘Hysteria’, ‘Pyromania’, ‘Adrenalize’ e entre outros. Destaque para a balada ‘Love Bites’ que teve releitura pela brasuca Yahoo e ‘Bringin’ On The Heartbreaker’ que foi regravada por Mariah Carey em 2002, pode ser que até alguns conheçam pela voz da cantora, mas são deles tá!

Foto: Mercury Concerts / Divulgação

‘Pour Some Sugar On Me’, ‘Let’s Get Rocket’ e ‘Photograph’ são aquelas canções que não podem faltar no setlist e óbvio, esteve presente.

Setlist

Let’s Go
Animal
Let It Go
Love Bites
Armageddon It
Man Enough
Rocket
Bringin’ on the Heartbreak
Switch 625
Hysteria
Let’s Get Rocked
Pour Some Sugar On Me
Rock of Ages
Photograph

Aerosmith

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Na ponte anos 80/90, a mais esperada Aerosmith, para um público também não tão cheio assim nas arquibancadas, vem com o todo o seu repertório, não tão diferente de sua performance no Rock In Rio.

Hits e sucessos dos Blues, genialidade de Joe Perry e um Steven Tyler energético, foram doses de um bom show no Allianz Parque. Claro que o clássico piano branco e a canção ‘Dream On’ cantada aos pulmões e diversos celulares à mostra gravando o momento foi bem marcante.

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

O show foi um mistura de vários álbuns da banda e covers como o The Beatles e Fleetwood Mac. Um apresentação destas o resultado é cara feliz do público ao sair falando dos momentos e revendo os vídeos no celular.

A banda que iria se apresentar em Curitiba dias depois teve que cancelar devido ao estado de saúde de Steven Tyler estar bem comprometido. Melhoras Steve!

Setlist

Let the Music Do the Talking
Love in an Elevator
Cryin’
Livin’ on the Edge
Rag Doll
Stop Messin’ Around (Fleetwood Mac cover) (Joe Perry on vocals)
Oh Well (Fleetwood Mac cover)
Crazy
I Don’t Want to Miss a Thing
Mama Kin
Come Together (The Beatles cover)
Sweet Emotion (With snippet of ”Hole In My Soul” as intro)
Dude (Looks Like a Lady)

Encore:
Dream On
Walk This Way (With snippet of ”Mother Popcorn”, James Brown cover, as intro)

Dia 26/09 – Tyler Bryant & The Shakedown + Alice Cooper + Guns ‘n Roses

O hard rock encerrou o quarto e último dia de São Paulo Trip com três bandas que por coincidência tem bastante conexão com suas músicas.

Tyler Bryant & The Shakedown

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

A banda que conta com um dos integrantes, o guitarrista Graham Whitford que é filho de outro grande guitarrista, Brad Whitford do Aerosmith, é formada também por Tyler Bryant (vocal/guitarra), Noah Denney (baixo) e Caleb Crosby (bateria).

O grupo que foi o primeiro a se apresentar num estádio quase se enchendo, fez um boa performance digna de grande banda que está há tempos na estrada, eles em si tem apenas 4 anos de estrada ao contar com o primeiro álbum de inéditas, ‘Wild Child’ lançado em 2013, e num total cerca de 8 anos de carreira.

Um set bem curto, foi bastante interessante conferi ao vivo, que eles tenham oportunidade de tocar solo ou em outros festivais para conhecerem melhor.

Setlist

Weak & Weepin’
Criminal Imagination
House on Fire
Don’t Mind The Blood
Got My Mojo Working (Ann Cole cover)
Lipstick Wonder Woman
House That Jack Built

Alice Cooper

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

O músico que tinha se apresentado no Rock In Rio dias antes, veio com o seu horror show ao palcos, que por sinal bastante carregado de imagens que nem dá para ver assim de longe.

Sucessos não faltaram em sua apresentação, ‘No More Mr. Nice Guy’, ‘Billion Dollar Babies’, ‘Woman of Mass Distraction’, ‘Poison’ além da participação de Andreas Kisser na canção ‘School’s Out’ e ‘Another Brick In The Wall’ que deram uma agitada, porém não tão efetiva do publico, cara é ALICE COOPER!

Nem tão performático assim, Alice Cooper deixa uma apresentação bastante ousada e com os shows de horrores ao estilo ‘Alice’ de ser.

Setlist

Spend the Night intro
Brutal Planet
No More Mr. Nice Guy
Under My Wheels
Billion Dollar Babies
Paranoiac Personality
Woman of Mass Distraction
Guitar Solo (Nita Strauss)
Poison
Halo of Flies (with Glen Sobel drum solo)
Feed My Frankenstein
Cold Ethyl
Only Women Bleed
Killer (partial)
I Love the Dead (band vocals only)
I’m Eighteen

Encore:
School’s Out (with Andreas Kisser) (with ‘Another Brick in the Wall Part 2’ by Pink Floyd interpolation)

Guns ‘N Roses

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Para quem conferir as 3h30 de show do Guns pelo Rock In Rio, ficou bem assustado e preocupado com apresentação da banda principalmente na voz de Axl que não é mais a mesma há tempos, mas em São Paulo ele cantou bem (ao seu limite), e agitou os fãs em suas 3h de duração.

Slash ao vivo, mesmo com o passar de anos, continua com os seus marcantes solos junto a Duff que deixa o brilho do Guns clássico ainda mais especial.

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

Para a geração anos 90 (como eu) que cresceu vendo a banda liderando o extinto Disk MTV, foi muito especial, já que segundo os fãs, o melhor show deles no Brasil foi nos anos 90, em seu auge. O set foi uma mistura de sucessos como ‘It’s So Easy’, ‘Estranged’, ‘Civil War’, ‘Sweet Child O’Mine’, ‘November Rain’ além de covers conhecidos como ‘Live And Let Die’ do Wings, ‘Knockin On Heaven’s Door’ de Bob Dylan, ‘Black Hole Sun’ do Soundgarden, e ‘I Feel Good’ de James Brown. Vale lembrar os solos de Slash e sua performance em Wish You Were Here instrumental.

Foto: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts

As misturas de gerações, até encontramos crianças encantadas com o show, sai do show, com ar de satisfação e ter presenciado mais um boa apresentação, de longe, muito melhor que no Rock In Rio, assim encerrando a primeira edição do São Paulo Trip.

Setlist

It’s So Easy
Mr. Brownstone
Chinese Democracy
Welcome to the Jungle
Double Talkin’ Jive
Better
Estranged
Live and Let Die (Wings cover)
Rocket Queen
You Could Be Mine
New Rose (The Damned cover) (with You Can’t Put Your Arms Around a Memory intro)
This I Love
Civil War
Yesterdays
Coma (followed by Band intros)
Slash Guitar Solo (with “Johnny B. Goode” by Chuck Berry jam in the middle)
Speak Softly Love (Love Theme From The Godfather)(Nino Rota cover)
Sweet Child O’ Mine
Wichita Lineman (Jimmy Webb cover)
Used to Love Her
My Michelle
Wish You Were Here (Pink Floyd cover) (Slash & Richard Fortus guitar duet)
November Rain (“Layla” by Derek and the Dominoes piano exit-intro with Axl Rose playing grand piano)
Black Hole Sun (Soundgarden cover)
Knockin’ on Heaven’s Door (Bob Dylan cover) (with Only Women Bleed intro)
I Got You (I Feel Good)(James Brown cover)
Nightrain

Encore:
Don’t Cry (with Melissa intro)
Patience
The Seeker (The Who cover)
Paradise City

Para quem curtiu 1 ou mais dias de São Paulo Trip encontrou bastante coisa bem comum em eventos grandes, cambistas vendendo ingressos baratos e ao que indica, verdadeiros, pois entraram para dentro do estádio, além de uma pequena confusão ao encontrar os setores e uma fila bem longa para ir aos banheiros.

Assim como o nosso site fala sobre cerveja, foi bastante constrangedor pagar pelo preço de R$10 em uma lata de Itaipava, no qual é vendido no mercados e bares 4x abaixo do valor do que foi cobrado no estádio. Além do copo especial que era vendido por R$20 reais sem nenhum beneficio (agua, cerveja ou refrigerante incluso).

São Paulo Trip foram 4 dias de Rock para o público brasileiro e não deixou nada a desejar! Não demorem para voltar por favor!

Agradecimentos: Simone Catto (Catto Comunicação)

About Henrique Carnevalli

Viciado em música, Pirado na fase psicodélica do Ronnie Von e Corinthiano. Lupúlomaníaco e Beer Sommelier formado no ICB.

Check Also

Rewind – #49

Comentários no Facebook

Comentários

%d blogueiros gostam disto: