Chaos Synopsis – Seasons Of Red

Quarteto de São José dos Campos/SP formado em meados de 2005 que já tem na bagagem, além de muita atitude e competência, 3 discos (Seasons of Red/2015, Art of Killing/2013 e Kvlt ov Dementia/2009) e alguns singles/Demo (Postwar Madness/2009, 2100 A.D./2008, Garden of Forgotten Shadows/Demo/2006) em seu curriculum.

É uma união incrível do thrash e death metal, se é que podemos rotular o som dessa galera.
Este é mais um trabalho conceitual, já que seu antecessor também o era, abordando desta vez, histórias sanguinárias e violentas sobre diversos conquistadores mundiais de épocas variadas e de culturas e religiões distintas.

A banda já abriu shows para bandas de renome, podemos citar Dismember, Sinister e Mayhem, além de uma mini-tour com a banda Kathaarsys. Também já saíram de seu país de origem para ganhar novos horizontes e divulgar seus trabalhos em países como Paraguai e Polônia.

O que dizer de Seasons of Red? Um disco brutal, com melodias incríveis e vale muito à pena dizer que a banda evoluiu muito do anterior para este. Na verdade a evolução desta banda é uma constante, quem acompanha desde o início pode afirmar esta com mais afinco.

Com produção do baterista Friggi, engenharia de Fabiano Penna (Rebaellium) e masterização de Neto Grous, “Seasons of Red” também atinge um nível incrível de qualidade sonora.
Este disco marca a estreia do guitarrista Luiz Ferrari (Anarkhon) que entrou no lugar de Marloni Santos.

Já na primeira faixa, Burn Like Hell, mostram para e porque vieram. Faixa visceral com uma pegada extrema. As castanholas e violões no início da música disfarçam muito bem a porrada sonora que está por vir. Pra mim, eles começam com a melhor faixa do disco.

Gods Upon Mankind, outra faixa que merece destaque pois tem uma temática Egípcia, percebe-se claramente ao ouvi-la com instrumentos que remetem à este tema. (Música faz parte do nosso listão das 50 Músicas de 2016, clique aqui)

The Scourge of God, outra bela faixa e vou além, arrisco dizer que tem até uma referência ao ritmo “baião” nela. É isso aí galera, não fiquem em suas zonas de conforto, vão além de suas fronteiras, o reconhecimento chegará mais cedo ou mais tarde… aliás… está chegando!

Destaques também para as faixas “Brave New Gold” com guitarras enfurecidas e a batida perfeita de Friggi. “Incident 228” além das guitarras e batera enfurecidas, podemos ouvir um pouco melhor o baixo, que poderia se destacar um pouco mais nas demais músicas do disco. Sincronia perfeita!
Em “State of Blood” o batera Friggi parece estar encapetado! Desce o braço nos tambores e pratos de um jeito único e visceral.

Na parte gráfica, tudo certo! Fotos da banda, letras, informações sobre as participações especiais do disco (Ítalo Junqueira, Fabio Zperandio, Gledson Gonçalves e Fabiano Penna) e informações sobre redes sociais.

Leva-se tempo para trilhar um caminho e mais ainda para evoluir e manter a qualidade da qual se adquiriu: Muita energia positiva para vocês do Chaos Synopsis. A demora em confeccionarmos este review será compensada na nota que daremos à vocês: Vão levar 9 brejas bem geladas!

Chaos Synopsis – Seasons Of Red (Independente – 2015)

Tracklist
1.Burn Like Hell
2.Gods Upon Mankind
3.The Scourge of God
4.Red Terror
5.Brave New Gold
6.Incident 228
7.State of Blood
8.Like a Thousand Suns
9.Four Corners of the World

Formação
Jairo Vaz – Vocal e Baixo
Friggi Mad Beats – Bateria
JP – Guitarra
Luiz Ferrari – Guitarra
Johnny Deadman – Está citado no encarte

NOTA: 09/10

Agradecimentos: Rômel Santos (Dunna Records)

About Alex Silva

Headbanger desde que se conhece por gente, Design Gráfico de formação, fissurado por discos de vinil de bandas de hard/rock/metal/punk nacional dos anos 80/90´s, no entanto um apreciador de uma boa música, independente de estilos.

Check Also

Zucchero confirma três apresentações no Brasil em outubro

Comentários no Facebook

Comentários

%d blogueiros gostam disto: