4º Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cerveja

No dia 2 de abril aconteceu a grande final do Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cerveja chegando em sua quarta edição promovido pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Este ano acompanhamos novamente de perto como foi as provas de cada finalista e saber o comportamento em cada etapa a serem feitas. Gabriel Rocha, Jayro Neto, Luciano Calazans, Eduardo Pelizzon e Cesar Augusto Leal foram os nomes que estavam na disputa do melhor Sommelier de Cerveja do Brasil.

Com uma equipe de jurados especializados na área e as supostas personagens durante o serviço dos sommeliers feito por mulheres do ramo cervejeiro, tiveram que se adaptar as surpresas que viriam através dos finalistas com suas respostas em suas respectivas visões sobre as sugestões das cervejas. Foi bem positivo por sinal.

O que eles não esperavam, é que na edição deste ano o tema foi um bar de verdade, mais precisamente o Frangó, onde o menu era da própria casa, menos o de cerveja, que foi feito especialmente para a final, assim os sommeliers sentiram como sugerir pratos reais de um bar especifico para harmonizar com a cerveja.

Como nas edições anteriores, o Sommelier de Cerveja analisa primeiro a cerveja com suas descrições sensoriais, a arrisca qual estilo ela é, além das típicas perguntas sobre o universo cervejeiro, e depois parte para o serviço da mesa com os clientes. Abaixo fizemos um raio-x do comportamento de cada um em suas atuações em nossa visão. A ordem está de acordo com as das apresentações.

Gabriel Marques da Rocha

Gabriel aparentou bastante seguro em responder as perguntas da área cervejeira, como por exemplo as situações que ocorrem quando o chope espuma muito na chopeiras. Além que fez um descritivo da cerveja de acordo com suas percepções e arriscou o estilo Kristallweizen.

Em sua atuação no serviço, ele foi bem e soube responder as sugestões e pegadinhas que as clientes colocavam na situação. Porém errou em não entregar a carta de cervejas para a mesa. Mas poderia ter sido um desatenção, afinal já tinha um cardápio junto com elas.

Jayro Pinto Neto

O segundo finalista Jayro respondeu bem as perguntas técnicas e soube analisar a cerveja, aparentou uma insegurança mas é bem normal durante a apresentação, e arriscou uma Belgian Strong Golden Ale à cerveja da banca.

Durante o serviço de mesa, ele também acabou não entregando o carta de cervejas, mas respondeu com segurança as perguntas de cada pessoa na mesa. Outro erro foi quando as meninas pediram que iriam dividir uma cerveja entre três, e ele acabou abrindo duas garrafas para servir à mesa.

Luciano da Silva Calazans

Luciano estava bastante ansioso mais teve segurança em responder as questões técnicas e analisar as cervejas, se comportou muito bem entre a banca e arriscou também uma Belgian Strong Golden Ale.

Durante a prova serviço, o fato até um pouco de nervosismo, ele acabou indo direto para a outra mesa de jurados pensando que seria com eles a prova, mas era com as meninas na mesa, porém, foi bem interessante sua apresentação de serviço explicando sobre as cervejas e sugerindo as harmonizações, e foi o primeiro a se atentar com a carta de cervejas para as clientes da mesa. Outro fato positivo foi apresentar o método da cerveja de trigo que seria dividida entre três pessoas, mostrou a técnica para misturar a cerveja onde a fermentação fica bem distribuída. Contou ponto!

Eduardo Pelizzon

O gaúcho Eduardo mostrou que o Rio Grande do Sul quando se trata de cerveja, a aula é boa! E ele foi muito seguro e bastante envolvente em sua apresentação, as questões técnicas forma bem colocadas, o sensorial foi bem descrito e o estilo, arriscou uma Blonde Ale.

Durante o serviço de mesa, teve vários pontos positivos, um deles para nós foi referir a mesa das mulheres e contar rápido sobre a historia da cerveja e da Deusa Ninkasi, comparando que se não fossem elas, não existiria a cerveja, ficou bem diferente, além também de entregar a carta de cervejas e envolver as clientes sobre sua escolha da cerveja. Eduardo também fez o método da cerveja de trigo sugerida por ele onde seria dividida em três, como foi feito pelo Luciano. Mas diferente do próprio Luciano, o Eduardo acabou deixando espumar demais a cerveja no terceiro copo e transbordou, mas nada de alarmante, foi o primeiro a retirar a carta e o menu dos clientes da mesa.

Cesar Augusto Leal

Cesar chegou bem tímido, mas se mostrou bastante seguro em suas afirmações das questões técnicas, apresentou uma boa descrição da cerveja e arriscou uma Tripel.

A prova de serviço foi bastante segura e correta, entregou as cartas de cerveja as clientes da mesa, soube se colocar durante as respostas de cada uma e serviu as cervejas corretamente sem errar. Cesar também retirou a carta de cervejas e menu da casa da mesa.

Conclusões….

A cerveja que foi colocado a prova dos sommeliers era uma Saison da Jandrain-Jandrenouille IV, onde ninguém acertou.

Alfredo Ferreira e Kathia Zanatta

Conversas a parte então o grande campeão não poderia ser outro, além do Eduardo Pelizzon que saiu bastante bem e foi muito elogiado pelo público por sua atuação. Ele acabou ganhando uma tour pelas instalações da Barth-Haas, em Vale de Yakima (EUA), vaga no Campeonato Mundial de Sommelier de Cerveja além do certificado e o copo de bota sensacional!

O ranking abaixo ficou o seguinte:

5º Gabriel Marques da Rocha
4º Jayro Pinto Neto
3º Luciano da Silva Calazans
2º Cesar Augusto Leal
1º Eduardo Pelizzon

Parabéns pela grande dedicação aos finalistas e com certeza cada um que esteve eram por merecimento! Confira alguns outros cliques do Campeonato! 😉

Agradecimentos: Mariana Buck

*Atualizado em 07/04/2017 às 16:58

About Henrique Carnevalli

Viciado em música, Pirado na fase psicodélica do Ronnie Von e Corinthiano. Lupúlomaníaco e Beer Sommelier formado no ICB.

Check Also

Lagoa Bier Fest traz os anos 80 e cerveja artesanal no Rio de Janeiro

Comentários no Facebook

Comentários

%d blogueiros gostam disto: