Reprodução: Twitter

Pedro Ramos – ‘Toledo’ (Supercombo)

A edição 38 do RockBreja+Prosa é com o Toledo da banda Supercombo! O músico contou sobre o mais recente trabalho da banda, ‘Rogério’, influências e claro, a participação da banda no SuperStar na Rede Globo!

A trajetória da Supercombo tem mais de sete anos de estrada, onde eles passaram por diversas formações na banda até chegar nesta atual. O estilo deles, o Pedro definiu logo abaixo em sua entrevista para nós, ainda tem em sua bagagem 1 EP e 4 álbuns gravados, com o mais recente chamado ‘Rogério’. A superexposição da banda começou através de sua participação na segunda temporada do SuperStar em 2015 que consagrou outras bandas do cenário como Kita, Scalene, Versalle e entre outras.

Bora ler galera!

ROCKBREJA: Obrigado pelo espaço Toledo, como começou a história do Supercombo?

Toledo: A Supercombo começou lá por 2007 em Vitória ES como um projeto paralelo de diversas bandas que os integrantes tinham na época e acabou se tornando o projeto principal. Em 2013, já em São Paulo, consolidamos a formação atual com a minha entrada na banda e desde então o nome passou a fazer ainda mais sentido pois agora somos 5 pessoas de cidades e culturas muito distintas. Um Supercombo de personalidades (piada ruim que só haha).

ROCKBREJA: Vocês misturam bastantes elementos brasileiros em suas canções, como podemos definir o estilo musical de vocês?

Toledo: Gostamos de não rotular nosso som até pela dificuldade de colocar tudo em um ‘balaio’ só. Achamos essa mistura essencial pra poder conversar com todos os tipos de público e não se prender em um só estilo musical. Somos muito ecléticos também.

ROCKBREJA: No novo disco ‘Rogério’, vocês dizem que existe um Rogério dentro de cada um, quando o seu Rogério é percebido no seu dia a dia?

Toledo: Sempre que alguma coisa foge do controle e a gente tem que resolver algum problema que não achávamos possível significa que Rogério esteve ali.

Rogério (2016)
Rogério (2016)

ROCKBREJA: As participações do disco ficaram bem interessantes e uma delas que chamou atenção foi a do Mauro Henrique da Oficina G3, uma banda de rock cristão muito popular no Brasil, como foi a ideia de convidar ele para cantar uma de suas faixas?

Toledo: Já temos uma proximidade com o Mauro e com os Oficina desde 2013, quando o Léo mixou o disco “Histórias e Bicicletas” aqui no Gritaria Mix e Master. Na época, chegamos a chamar o Mauro pra participar do Amianto, mas não bateram as agendas. No Rogério, quando começamos a pensar nas participações, ele foi um nome que não poderia faltar.

ROCKBREJA: Como vocês classificam o Supercombo (antes do Superstar) e Supercombo (depois do Superstar)?

Toledo: O Superstar ajudou a Supercombo a amadurecer mais rápido, conhecer melhor uma parte do business que ainda não tínhamos acesso. Isso sem falar nos cabelos brancos que começaram a aparecer. Haha

ROCKBREJA: Falando ainda em Superstar, o programa não só revelou talentos como o rock começou a ter melhor atenção a massa popular com ótimas bandas, como você vê esta questão do beneficio que o programa fez com as bandas que estão na ativa muito tempo, mas não tem seu espaço.

Toledo: A internet já provou que o futuro está ali e não mais somente nos meios clássicos de comunicação. O programa é ótimo pra dar experiência pras bandas e de um modo geral ajuda a divulgar bandas novas, mas não dá pra ir lá e achar que os problemas estão resolvidos. Tem MUITO trabalho que precisa ser feito fora do programa e não adianta ir lá se você não souber o que fazer depois. A Supercombo cresceu tanto nesses últimos anos pelo fato de ter muita gente empenhada trabalhando pra fazer isso rolar. Somos muito gratos por ter tanta gente que se identifica com nossas músicas e ajuda a tocar o barco pra frente.

Apresentação no SuperStar / Foto: Isabella Pinheiro/Gshow
Apresentação no SuperStar / Foto: Isabella Pinheiro/Gshow

ROCKBREJA: Conte como foi o seu primeiro contato com o Rock:

Toledo: Acho que a primeira banda de rock que ouvi foi Pink Floyd. Meu pai ouvia muito quando eu era moleque.

ROCKBREJA: Quais são as suas grandes influências para compor as músicas da banda?

Toledo: Somos influenciados por todo tipo de coisa mas principalmente filmes e games. Isso faz com que as músicas da Supercombo sejam tão ‘visuais’, você meio que enxerga a imagem da coisa toda.

Supercombo / Foto: Divulgação
Supercombo / Foto: Divulgação

ROCKBREJA: Existe uma apresentação marcante para vocês aonde guardam ótimas lembranças?

Toledo: Acho que nossa última turnê no Nordeste foi bem marcante, tocamos em lugares que nunca tínhamos passado e ver que tem TANTA gente nesses lugares que gosta do nosso som é incrível.

ROCKBREJA: Uma mensagem final aos fãs do Supercombo em nosso site:

Toledo: Ouçam o Rogério, espalhem o Rogério, abracem o Rogério que existe em vocês. Nos vemos por aí.

Links:
http://www.supercomborock.com/
https://www.youtube.com/c/supercomborock
https://www.facebook.com/supercombooficial
https://www.instagram.com/supercombooficial/
https://twitter.com/Supercombo

 

Agradecimentos: Letícia Saraiva (Perfexx)

About Henrique Carnevalli

Viciado em música, Pirado na fase psicodélica do Ronnie Von e Corinthiano. Lupúlomaníaco e Beer Sommelier formado no ICB.

Check Also

“Both Sides of the Sky”, novo álbum com canções de Jimi Hendrix será lançado em 2018

Comentários no Facebook

Comentários

%d blogueiros gostam disto: