Eduardo Filho (TV Cerveja)

A nossa 37ª edição do RockBreja+Prosa conversou com uma das pessoas mais bacanas que conhecemos no mundo cervejeiro, Eduardo Filho do TV Cerveja!

Ele contou um pouco (mentira, um poucão!) sobre o TV Cerveja, criação do bar, suas preferências cervejeiras e claro que não pode faltar além da cerveja, o bom e velho rock n roll!

Em nossa aventuras em São Paulo, fomos conhecer o Bar TV Cerveja que inaugurou em 2015 (clique aqui) mas a história do canal começou muito antes, além de ser um dos pioneiros deste estilo de canal falando sobre cerveja em solos brasileiros. Nós tivemos contato com o TV Cerveja em 2014 durante o Degusta Beer & Food em São Paulo e anos depois estamos aqui conversando com o criador disso tudo!

Chega de delongas e pega sua breja preferida e vem ler!

ROCKBREJA: Conte a história da criação do TV Cerveja:

Eduardo: A história do TV Cerveja ela começa em 2003, quando eu vim para São Paulo e pouco tempo depois comecei a trabalhar em uma empresa holandesa, e dois meses trabalhando por lá, me mandaram para a Holanda. Em 13 anos atrás a cena cervejeira era outra, eu tinha na mente “vou para a Holanda, conheço a cervejaria Heineken, vou no museu…”, mas quando cheguei lá, os colegas de trabalho me deram uma ducha de agua fria dizendo que não tinha graça conhecer a cervejaria e me levaram para conhecer outros lugares como barzinhos aonde famílias faziam suas cervejas de outros estilos, daí pensei: “Uma família faz seis, sete estilos de cervejas no mesmo lugar!”, e aqui pensava que só tinha Skol, Brahma, Antártica e veio uma questão sobre cerveja clara, escura, trigo, vermelha, aveia, e voltei de viagem com uma outra visão sobre isso. Aqui no Brasil ainda não tinha o EAP, o Frangó estava no começo e eu ia muito no Sam’s Club, porém a compra era somente em caixa, daí rachava com os amigos. Eu tirava foto destas cervejas e publicava nos fóruns falando sobre ela, e era somente o básico, nada de uma visão de sommelier. Com a criação do Orkut criei um álbum de fotos e no Facebook também. Conversando com os amigos pensei: “Gosto de audiovisual, vou um dia em um evento e faço um vídeo sobre cerveja!”, porque eu queria que fosse um canal de TV, e o Marcelo Nascimento (repórter) me apresentou o Paulo Martinatti (cinegrafista) e começamos a fazer o canal. Os primeiros eram bem amadores, mas com um padrão visual de canal. O primeiro vídeo que postamos foi em 2013 no Beer Experience na Bienal, de lá para cá foram muitos eventos e que deu uma repercussão muito grande e as cervejarias queriam o vídeo que gravavam com a gente.

Oficialmente ela começou em 2013, porém de 2013 à 2015 quando inauguramos o bar, surgiram as questões de como fazer dinheiro com isso. No canal do YouTube, nosso vídeo chegou a 100 mil views, mas eles não pagam nada, tem que chegar a 1 ou 2 milhões por mês. As cervejarias artesanais não tem um caixa iguais a da Ambev em questão de publicidade, pensamos em criar então a loja com as cervejas, assim, tentar negociar com as cervejarias preços melhores e contrapartida, dou uma visibilidade para ela, como um post, matéria, vídeo ou evento.

ROCKBREJA: A ideia de montar um bar do TV Cerveja já estava nos planos?

Eduardo: Inicialmente o bar TV Cerveja seria uma loja de cervejas e um estúdio dentro, porém com a loja não se mantém, com um aluguel caro e um bom endereço que é mais caro ainda e um tributo maior com a equipe. Por isso pensamos em ser loja e bar. Porém, durante a reforma percebemos que tinha uma demanda forte de almoço e todos os restaurantes ao arredores tinham fila de espera, então pensamos em oferecer o almoço e tentar absorver essa fila, mas não divulgamos nas mídias sociais, por que não era a ideia o bar ter almoço, se fosse divulgado e der errado, tiraríamos o almoço e se desse certo, seria um mecanismos para trazer pessoas ao bar. A demanda que tivemos foi muito maior do que esperávamos e essa demanda hoje é o que equilibra o caixa do bar, e ele (bar) acaba ficando imune a estas oscilações.

Bar TV Cerveja

ROCKBREJA: Como vocês pensaram no menu, já que não era a ideia de ter almoço?

Eduardo: Começou em casa, a minha esposa sempre gostou de cozinhar mas nunca gostou de beber, ela começou a fazer encontros em casa com amigos cervejeiros, e com os pratos que todos gostavam, pensamos em transportar para o restaurante porque já tinha uma história antes ligado a cerveja, e trouxe isso como um modelo de ‘Prato do Dia’. Sempre buscamos elementos que conecte o prato com a cerveja.

ROCKBREJA: A localização (Vila Mariana) foi uma forma do público sair da rota cervejeira Pinheiros/Madalena?

Eduardo: Também. Por que quando vim para São Paulo eu me assustei com o trânsito e em 2006 prometi para mim que iria morar perto do meu trabalho.

ROCKBREJA: Qual cerveja que o público mais gosta quando vem ao bar TV Cerveja?

Eduardo: O nosso bar até por estar fora da rota (Pinheiros/Madalena), estamos fora da rota também do cervejeiro tradicional, então é muito cervejeiro de primeira viagem. Sempre pedem uma cerveja leve, não muito forte, não muito amarga. Mas o estilo que mais pedem é trigo, já tem um público que está começando a ir nas IPAs e belgas, e quem não conhece e vê uma taça bonita sendo servida em outra mesa, acaba pedindo por causa da taça, mesmo sem saber qual cerveja.

Bar TV Cerveja

ROCKBREJA: Como vocês preparam um público quem vem aqui e não bebe, ou bebe cerveja sem álcool? Vocês tem estas opções?

Eduardo: Temos dois rótulos de cervejas sem álcool alemães bem consagrados e temos cervejas com baixo teor alcoólico para o publico que não está acostumado a beber.

ROCKBREJA: Agora entrando no mundo Rock, que bandas geralmente você gosta de ouvir?

Eduardo: O que escuto são minhas influências: Pink Floyd, Metallica, Iron Maiden, AC/DC, Ramones, Nirvana, Motörhead, Eric Clapton e Jimi Hendrix.

ROCKBREJA: Qual foi o show de rock que marcou sua vida?

Eduardo: Eric Clapton em Nova York, por que foi um guitarrista que meu pai gostava muito e eu ouvia desde criança, estava em Nova York e era um show que ele fez com Jeff Beck.

ROCKBREJA: Em suas aventuras cervejeiras, qual foi a cerveja que você degustou e recomenda ao nosso site?

Eduardo: JBeer ‘Wee Heavy’, uma vez ou outra falo sempre no bar porque é uma cerveja boa, foi a primeira que harmonizei com charutos, ela sai da mesmice. E a Midtfyns Imperial Stout, ela dá uma sensação muito boa com charutos, ela complementa também com muitas coisas.

Estilo: Scotch Ale / Teor Alcoólico: 8,2% / Cervejaria: J.Beer / País: Brasil)
Wee Heavy (Estilo: Scotch Ale / Teor Alcoólico: 8,2% / Cervejaria: J.Beer / País: Brasil)

ROCKBREJA: Rock + Breja o que faz pensar nesta combinação?

Eduardo: Me faz pensar no show do AC/DC no Morumbi em 2008, foi fantástico! Cerveja é bom, ouvindo rock é melhor ainda e com os amigos!

ROCKBREJA: Uma mensagem final para o publico que conhece ou irá conhecer o TV Cerveja em breve:

Eduardo: Cerveja artesanal é aquela coisa que você quer sempre experimentar coisas novas, se você gosta de variar em cervejas e lugares, coloca o TV Cerveja na sua rota também que vale muito a pena! Não tem frescura, tem garçons entendedores de cerveja e são rock ‘n roll!

 

Links:
https://www.facebook.com/TVCerveja/
http://instagram.com/tvcerveja

About Henrique Carnevalli

Viciado em música, Pirado na fase psicodélica do Ronnie Von e Corinthiano. Lupúlomaníaco e Beer Sommelier formado no ICB.

Check Also

“Both Sides of the Sky”, novo álbum com canções de Jimi Hendrix será lançado em 2018

Comentários no Facebook

Comentários

%d blogueiros gostam disto: